Sexta-Feira, 17 de Agosto de 2018

TRT
Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 06h:37

GESTO NOBRE

Primeiro juiz a abrir mão do auxílio-moradia deixou de receber R$ 172 mil desde 2014

Kelli Kadanus

Reprodução

Juiz do trabalho Celso Fernando Karsburg jamais aceitou o benefício que “engorda” o salário como magistrado.

Primeiro do magistrado do país a se recusar a receber o auxílio-moradia, ainda em 2014, o juiz do trabalho Celso Fernando Karsburg diz se sentir “constrangido” com a postura dos colegas em defesa do pagamento desse benefício. O juiz, que atua na 1.ª Vara do Trabalho, em Santa Cruz do Sul (RS), nunca embolsou o auxílio, que considera imoral. Em três anos e quatro meses, ele abriu mão de aproximadamente R$ 172 mil. “Acho que eu estou mais sintonizado com os novos tempos da sociedade brasileira – eu e mais juízes que renunciaram – do que a grande maioria dos juízes”, disse ele em entrevista nesta quinta-feira (8). Acompanhe:

Naquela época eu já tinha essa impressão, que se reafirma cada vez mais, de que esse auxílio-moradia, na verdade, é um desvio de finalidade. A intenção dele quando foi previsto na Loman [Lei Orgânica da Magistratura] era subsidiar juízes que, no exercício da sua função, do seu cargo, teriam que atuar longe da região em que residiam. Por exemplo, o cara mora em Curitiba e vai lá para o Oeste do Paraná, ele vai ter que alugar casa, vai ter que levar a família dele junto. Essa é a intenção original do legislador. E esse desvio de finalidade agora ficou muito mais claro porque inúmeros juízes já admitiram isso. E as notícias são várias, de que, na verdade, esse auxílio-moradia veio para suprir a falta de reajuste do subsídio. 

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO