Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Brasil

Sexta-Feira, 24 de Maio de 2019, 09h:39

LIBERAÇÃO

Fila de espera por novas armas não para de crescer, diz presidente da Taurus à Época

Reprodução

Bolsonaro e Salesio Nuhs

Diz a revista Época que o presidente da Taurus, Salesio Nuhs, acaba de voltar de uma viagem aos Estados Unidos. Foi cuidar da transferência de uma fábrica da empresa de Miami, na Flórida, para o estado da Georgia. O movimento, segundo ele, vai duplicar a produção de armas no país. Algumas delas podem ser enviadas ao Brasil, assim que o Exército, no prazo de 60 dias, regulamentar o último decreto que facilita o acesso às armas por aqui. Se antes a Taurus costumava vender apenas revólveres calibre 38 e pistolas .380, agora poderá vender 12 tipos de calibre diferentes.

Segundo Salesio, quase 3 mil pessoas — a maioria colecionadores, atiradores e caçadores — aguardam em fila para comprar as armas fabricadas pela Taurus tanto lá como em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. O serviço de atendimento ao cliente, por telefone e e-mail, vem tendo intensa procura. A expectativa da empresa gaúcha é que a demanda por seus produtos aumente exponencialmente após a regulamentação do decreto. Nada que afete o movimento das máquinas: a Taurus fabrica 4 mil armas por dia. A maior parte é destinada a exportações. “O mercado brasileiro é muito pequeno se comparado com a nossa produção”, diz Nuhs. “Não vamos ter nenhuma dificuldade para atender a todos os brasileiros.” A fila de clientes interessados em se armar, segundo Nuhs, não para de crescer.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO